(it's my party and i'll CRY A FUCKING RIVER if i want to, aviso logo)

eu não sou uma pessoa que acredita em ~vidas passadas~ porque veja bem, na maior parte do tempo mal acredito na vida presente. mas se isso realmente existe, olha, eu fiz algo MUITO ERRADO. sério. nada justifica. quer dizer. o fato de ser burra, não saber o que quero e fazer um bandimerda até ajuda mas veja bem que o que mais tem no mundo é gente com essas características e elas estão aí vivendo. eu não. eu me perco tanto, e me fodo tanto, e quebro tanto a cara que quando minha hora finalmente chega só me dá vontade de gritar um FOOODA-SE bem lindo porque eu não quero mais aquela merda. 

quando eu era uma pessoa totalmente descompensada (sim, porque agora eu sou uns 60% descompensada apenas) isso não me incomodava muito porque né? se você só faz bosta não deveria ficar muito surpreso quando sua vida reflete isso. o que me intriga é que quando eu tento fazer direito sai PIOR. vibe cecilia gimenez, só tava dando uma restauradinha, não sei como acabou assim. impressionante. a pessoa abandona uma faculdade quase terminada para começar outra jurando que estava fazendo um ótimo negócio e o que acontece? ela não se forma nunca. mais. e não é um "não se forma porque na hora da aula estava trajando roupas de festa vomitando sentada num canteiro". MERMÃO, ANTES FOSSE. SDDS CANTEIRO. porque pelo menos eu podia praticar a lendária arte da auto-avacalhação, dar uns tapas na testa e seguir a vida. agora vou dar tapa em quem? eu só quero meu diploma, brasil. não estou especificamente empolgada com meu futuro depois de formada, não faço A MAIS PUTA IDÉIA do que vou fazer da vida depois, se vai ser um mestrado ou um concurso whatever pra passar a vida carimbando papel, ou vou descobrir um talento oculto para a ginástica rítmica, ou enlouquecer e me mudar para a antártida pra matar filhotes de foca com um tacape. caguei. eu só quero. a merda. do meu. di. plo. ma. 

mas se existe a possibilidade de se fazer uma greve de mais de 100 dias, não vão fazer quando a raquel está sentada no canteiro tentando lembrar do próprio endereço para informar ao taxista. não. isso vai acontecer quando ela estiver quieta, controlada, querendo sinceramente levar sua vidinha dentro dos eixos. 
o que me surpreende nem é a falta de timing. é eu ter acreditado que dessa vez ia dar certo.

a pessoa cagada não tem o direito de ser otimista, cara.
um dia eu aprendo.