eu fico aqui me perguntando que tipo de prazer as pessoas encontram na escrotidão, mas não consigo entender muito bem como se dá esse processo.

chego hoje na biblioteca e a querida do guarda-volumes me informa que só posso entrar com 20 folhas impressas. procuro onde essa regra está escrita, e como obviamente ela NÃO ESTÁ, interpreto isso como uma dessas estimativas cariocas. você sabe, tipo ser convidado pra um churrasco às 11 da manhã, chegar às 3 da tarde e só ter cerveja e molho à campanha porque nem acenderam a churrasqueira ainda. 20 folhas estariam ali naquela variação entre uma bula de remédio e uma lista telefônica, algo que as pessoas falam só porque... sei lá. 

então peguei minha pilha de xerox como faço todos os dias nessa vida de meudeus.

não não. SÓ VINTE FOLHAS. 

incrédula, percebi que ela estava esperando que eu CONTASSE folha por folha. tipo todos os meus esquemas de cortes transversais de pinto espalhados no balcão e eu ali fazendo uma rápida seleção, essa próstata entra comigo, esse testículo eu já olhei ontem, pode ficar. quase dei de presente as folhas restantes, aliás, porque só pode estar faltando pênis na vida dessa pessoa. e os meus inclusive já vêm impressos em 50 tons de cinza, que a xerox colorida está pela hora da morte.


e aí me peguei pensando que é das pessoas, e não das coisas, que ando cansada.
não é a rotina. não é a falta de tempo.
não é por precisar pegar 7 ônibus num dia. é pelo tiozão mongolóide que batuca no seu banco a viagem inteira, não importa quantas olhadelas do mal você dê. não é por esperar 40 minutos na fila do bandejão. é por esperar 40 segundos A MAIS por causa da filha da puta que simplesmente entrou na sua frente. não é por passar o dia na biblioteca sem ter noção se chove ou faz sol lá fora. é pela pessoa que ocupa um computador público de consulta ao acervo por horas pra discutir a relação no chat do facebook, espancando o teclado com tanto vigor e dramaticidade que mais parece estar tocando a marcha fúnebre. não são os prazos apertados. são as pessoas que os alteram de acordo com o humor do dia e te mandam email às 11 da noite pra avisar que aquilo que você fez, bem, agora precisa ser feito de outra forma.

não é o roteiro, sabe. o roteiro vai bem. é um filme iraniano com restrições no orçamento, mas vai bem.
são esses coadjuvantes que puta que pariu.