o nível de zica que se abateu sobre minha existência desde que voltei para casa só pode ser praga do taxista da rodoviária. sério. nada mais explica.

contextualizando:
sábado, por volta de 11 da noite, chego ao rio de janeiro e pego um táxi. entro, fecho a porta e escuto o motorista - que estava do lado de fora, guardando minha mala - urrar singelamente:

- CARAAAAALHO.

"isso não é comigo", pensei. porque sou essa otimista incorrigível.

o fofo entrou no táxi, me olhou com desprezo pelo retrovisor e rosnou:

- a porta do táxi não se bate assim não, senhora.

tipo. eu não tinha batido a porta. mas estava tão murcha que me desculpei em vez de argumentar e por aí já se tem uma noção do meu estado mental. mas aí o cara ARRANCOU com o táxi, andou uns 50 metros, fez uma merda épica e quase bateu duas vezes em menos de 30 segundos. e né, meu espírito de porco sempre vence a tristeza. devolvi o olhar de rato morto e repliquei, fazendo a mesma voz:

- o freio do táxi não se pisa assim não, senhor.

rs.

mermão, o cara ficou #chatiado e achou de bom tom virar pra trás pra me encarar. dirigindo, claro.

- a senhora está tentando me ensinar a dirigir?
- olha, acho que isso está além da sua capacidade. eu só quero chegar em casa viva, mesmo.
- então eu te devolvo lá no ponto e a senhora pega outro táxi. vai ser um prazer.

uia. nervosa.

e desandou a entrar em mil ruazinhas bu-ni-tas ali nos arredores da rodoviária enquanto eu só pensava que se ele estivesse pretendendo me esquartejar e guardar os pedaços na mala ia ter um trabalhão porque não cabiam nem meus dedos dos pés lá dentro.
certeza que ele deu aquela voltinha adicional só pra me botar um terror. no que foi muito bem sucedido, inclusive. mas por fim me desovou na porta da rodoviária e um velhinho não-psicopata me trouxe em casa.

~ ~ ~

contextualização encerrada, só tenho a dizer que: taxista, pare de cagar na minha vida! eu compro uma porta nova pro senhor!
porque sério, não tá dando.

eu tinha esse poster inofensivo para apresentar. fiz minha inscrição e nada da resposta. aí em 24 horas chegaram 3 emails.
os 3 foram direto pra lixeira, né. que era pra eu ler tudo ao mesmo tempo e agregar emoção à experiência.

1. Prezada Raquel,
 Gostaríamos de comunicar que seu trabalho foi selecionado para a apresentação oral na quinta-feira, 8 de novembro de 2012.

sem querer ser chata mas eu me inscrevi para apresentar poster, não para apresentação oral no auditório então DE ONDE VOCÊS TIRARAM QUE SERIA UMA BOA IDÉIA ME BOTAR PRA FALAR? nunca é uma boa idéia me fazer falar. eu juro. tenho testemunhas.

2. No e-mail anteriormente enviado, o tempo de apresentação do seu trabalho foi digitado erroneamente.
As apresentações terão 15 minutos de duração, e não 10, como foi divulgado anteriormente.
Lembramos que você também está escalada para apresentação em pôster.

porque né? 10 minutos era muito pouco, vamos botar ela pra falar logo 15! E apresentar o poster. não esqueçamos do poster.

mas não ligue ainda! porque

3. Sabemos que resta pouco tempo para o encontro, portanto reorganizamos as apresentações para melhor atender aos participantes. Informamos que sua apresentação será no dia 5 de novembro de 2012, segunda-feira.

hahahahahahahah, mas gente? vamos refletir que se eu não tinha um poster pra quinta-feira, não será na segunda que terei? com um feriado no meio do caminho, ainda por cima? cês tão acompanhando o desraciocínio dessas pessoas? posso entregar o trabalho em cartolina?

tantas dúvidas.

nunca mais entro num táxi na vida.