eu estava no ponto de ônibus, e estava chovendo, e eu estava com fome, e tinha essa senhorinha. sempre tem uma senhorinha. essa de hoje veio falar da chuva que não acaba nunca mais. e dessa coisa triste em santa maria. e finalizou dizendo que "hoje é um dia bonito, é o dia da saudade".

eu olhei bem pra cara dela e precisei fazer um esforço pra não falar que bonito é o caralho, sua vaca. que coisa escrota de se dizer. mas apenas fiz cara de cupcake e respondi

- e quando não é?

e ela fez que sim com a cabeça me olhando como se eu fosse a campeã interestadual da vibe errada.


raquel, deprimindo bem para deprimir sempre.