minuto a minuto do desmantelamento da minha vida

segundo a balança da farmácia na esquina, perdi um quilo e uns quebrados.

não lembro quando foi a última vez que fiz uma refeição digna e tenho consumido pastilhas de antiácido como se fossem jujubas. 

meu olho voltou a coçar, porque quem é que tem estrutura emocional pra ir tomar vacininha nessa altura dos acontecimentos? a única vacina que cogito tomar é uma anti-rábica, porque está faltando pouco pra começar a morder as pessoas.

sinto sono o tempo todo, uma espécie de leseira que permanece independente de quantas horas tenha dormido. cochilo em qualquer oportunidade. ontem dormi num banco no jardim da geologia e fui acordada pelo lek da jardinagem que queria "passar com a mangueira". fiquei um tempão em about:blank olhando pra cara dele e pensando "do que ele está falando? será um trocadilho?" e o garoto putíssimo porque queria acabar de molhar as plantas pra ir embora e eu estava empatando.

comecei um diário no início do mês mas desisti quando notei que escrevia todo dia a mesma coisa. foi pro lixo.

preciso descobrir o que farei a seguir mas só sinto vontade de abanar assim a mãozinha e falar "entendam-se com meus advogados", pena que não tenho advogados e queria mesmo era abanar a mão NA CARA DAQUELAS SAFADAS, mas não posso, muito chato isso.

e por enquanto é só, pessoal.

se me acontecer alguma reviravolta digna de nota do tipo encontrar jesus ou ser presa, venho aqui atualizar vocês.