para situá-los no meu estado mental gostaria de compartilhar, antes de mais nada, que estou escrevendo isso deitada no meu edredon com a mesma calça que voltou sentada no chão do vagão do metrô. um beijo, anticorpos.


mas então. 

sabe quando dá uma merda muito gigante na sua vida e você olha e fala "gente, eu não sei como isso aconteceu"?

eu invejo muito essas pessoas. porque eu sempre sei. aí vocês vão rir, né. porque se eu sei, como é que consigo cagar tanto na minha própria vida?

esse é o mistério de toda uma existência, né, pessoal.

eu sabia com uma certeza cristalina que tudo iria afundar hoje. era algo que ia muito além de emails malcriados, divergências ou problemas pessoais. era tudo. era o lento desfecho de todas as coisas. eram as falhas de meses atrás voltando. era tudo, e era hoje.

eu não posso dizer que estou frustrada, ou que estou com raiva. hoje eu chorei na frente de uma pessoa para quem sempre procurei aparentar tranquilidade e ela disse que sabia como eu estava me sentindo. e eu senti um impulso engraçado de explicar que ela estava enganada, mas tive bom senso porque né, seis e meia da tarde. então vim embora sem dizer que muito daquele choro era de alívio. obviamente não era um alívio feliz. era mais como a sensação de ver uma pessoa querida morrer depois de sofrer por meses. mas sabe? pelo menos não há mais nada para esperar. acabou a expectativa. passou. eu me senti livre. completamente fodida e sem nenhuma pista do que farei da vida agora, mas livre. eu não preciso mais ter medo do pior acontecer, ele já aconteceu, estava acontecendo.


então não, não foi dessa vez que eu virei professorinha.
e não, eu ainda não tenho nenhum plano mais complexo do que um banho, um prato de comida e um filme.

queria piscar meus olhinhos à la blanche dubois pra todo mundo que, sem nunca ter me visto, se preocupou em dizer uma palavrinha qualquer pra me acalmar.
e deixar meu muito obrigada para cada pessoa que, de uma forma ou de outra, contribuiu para que o dia de hoje fosse o mais horrível da minha vida. de verdade. talvez não surtisse efeito se não fosse assim.