eu sempre digo que dá pra estimar o tamanho da minha cara de desalento pela quantidade de chocolate que as pessoas começam a me doar do mais completo nada. 

nas últimas 72 horas pude acumular este modesto patrimônio:


nunca entendi o fenômeno, mas é tipo uma ciência exata. e não, nem tem nada a ver com a proximidade da páscoa, acontece sempre. e também sempre eu me pergunto, por que chocolates, especificamente? por que não prozac? por que não dinheiro? por que não pagam alguém pra vir me fazer um cafuné de uma vez?


(tinha um kitkat aí ontem, que infelizmente não viveu para ver o dia nascer)

(a caixa dos bombons roxinhos também já devastei, deixei esses 2 apenas para compor a imagem)

(me larguem)

Nenhum comentário:

Postar um comentário