it's my party and i'll cry if i want to, parte 1 de INFINITAS, aviso logo.

tudo o que eu queria, agora, era sentar para tomar uma cerveja (uma vodka, uma tequila, uma batida de chumbinho) com alguém que gostasse minimamente de mim e me explicasse que eu tenho, sim, o direito de estar me sentindo desse jeito.

mas aí lembro que nem bebo mais.

e que não seria capaz de falar com quem quer que seja sem achar que estou quebrando algum código de lealdade que muito provavelmente só importa para mim, nessas alturas.

e que sou, portanto, uma idiota completa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário