uma coisa com a qual não sei lidar: essa coisa de fazer uma pausinha a cada 50 minutos de estudo.


não sei se é porque minha mãe sempre preferiu uma abordagem mais dinâmica, tipo SÓ LEVANTA DESSA MESA QUANDO TERMINAR OU VAI PRA ESCOLA DE CARA INCHADA AMANHÃ (o que, convenhamos, dá todo um alento na pessoa com déficit de atenção), mas a questão é que a tal da pausinha consegue gerar em mim uma ansiedade maior do que a de ficar horas debruçada sobre a mesma coisa. porque, sendo como sou, a chance do intervalo de 10 minutos se transformar num lapso temporal de cinco horas e meia é altíssima. e se você perguntar o que eu fiz durante esse tempo eu não. vou. saber. te. responder.

aí eu faço o quê? viro a louca das atividades-de-10-minutos para preencher as pausas que supostamente são tão importantes para o bom funcionamento do meu cérebro & memorização do conteúdo. mas depois de pintar todas as minhas chaves com esmalte, arrancar lascas da mesa com um estilete tentando cortar papel, subir numa cadeira para olhar a parte de cima do armário sem nenhum objetivo claro (tipo aquela comunidade "eu abro a geladeira pra pensar", sabe?), derrubar lá de cima uma caixa CHEIA DE CADERNOS e me deparar com todos os constrangimentos da safra 2000-2010, eu vos digo: pausinha não faz bem pra saúde mental não, hein. engodo total.

agora estou aqui com essas desgraças num saco lacrado com muitos metros de fita adesiva decidindo onde vou despachar tudo isso. nem fodendo que vou colocar no lixo daqui, só consigo imaginar o lixeiro num momento de tédio abrindo o saco e lendo 10 anos de embaraços e vindo aqui me pedir um autógrafo depois.

(menos a gata e a bolsa)

4 comentários:

  1. lixo não, pelo amor de deus.
    se não tiver dado um fim ainda, manda pra mim.
    é sério.
    adoro ~literatura experimental~
    (hahahahahaha relaxa, eu sei. É que seu blog é muito ternurinha pra mim <3)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha, nooooooo, essa é a minha maior paranóia! que algum ~colecionador de caderninhos~ encontre os meus!

      D:

      Excluir
  2. Agendas e cadernos velhos com anotações constrangedoras eu rasgo no máximo de pedaços que eu conseguir e distribuo por sacolas de lixo diferentes, para o caso de algum maluco encontrar e tentar colar os pedacinhos (falando assim, parece que a maluca sou eu mesma).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EXATAMENTE. eu também penso que a melhor opção é destruir e espalhar os destroços.

      e sim, as malucas somos nós. mas vai que tem alguém PIOR solto por aí, né? melhor não facilitar.

      Excluir