filmes de maio

avisinhos prévios: eu não quero fazer o josé wilker, tá, gente. eu gosto ou desgosto de filmes baseada em critérios puramente umbiguistas e não sou a rainha do bom senso nem nada (não que eu AINDA precise avisar isso). e tento não dar spoilers, mas pode miscapulir vez ou outra. 


mencionado nesse post aqui. triste, muito triste. a menininha tentando explicar o inexplicável. não sabia grandes coisas sobre síndrome de tourette e quando terminei o filme fui parar nesse documentário aqui e ô, gente. senti muita culpa quando lembrei que, quando bêbada e entediada, executava uma performance apelidada de ~simulando tourette~ em pistas de dança de festas falidas. já me perdoei, no entanto, porque frequentar a pista 3 provavelmente já era o castigo em si.


2. moonrise kingdom (2012)
casal troncho mais amor do mundo, gente? faleci de overdose de ternurinha descontrolada e lembrei o tempo todo desse videozinho. a menina era um tanto quanto margot feelings, né? nada contra, acho sempre válido. e toda a sequência do "i love you, but you don't know what you're talking about" define muita coisa. assim, na vida. 



amo steve carell. é um pouco constrangedor, até, o tanto que gosto dessa pessoa. porque não é como se ele fizesse muito esforço pra alimentar o sentimento, afinal. mas assim é a vida. amo keira também, com riso forçado e tudo. o filme em si não me empolgou muito por motivos de: ~precisa~ casalzinho? não ornou. mas achei engraçado o despirocamento coletivo com a proximidade do fim. e melanie lynskey em seu eterno papel de pessoa psicótica, né? terrível. aí olhei no imdb e descobri que, além da rose (a-do-ro rose, podem me julgar) e da tia tarada de charlie, ela foi também a louca do tijolo em almas gêmeas! wtf, gente?

4. mommie dearest (1981)
assistido no sábado, véspera do dia das mães. porque eu sou sempre muito legal comigo mesma. tem gente que acha esse filme surreal, forçado demais - são pessoas obviamente desprovidas de mãe desequilibrada. se esse for o seu caso, mas você quiser vivenciar a experiência por completo, eu posso te alugar a minha por uns dias. monto um kit, incluo até os cabides. depois a gente volta a conversar.



apenas. o. melhor. filminho. é tipo a história da minha vida, você apenas troca o jantar que jamais acontece pela formatura que jamais chega. dedico uma ternurinha extra para (1) o casal fugindo pela janela para trepar no jardim, (2) o tenente na casa de chá, e (3) o soldado contando o sonho. e uma ternurinha suprema para a bêbada, né. melhor personagem.

6. restless (2011)
eu penso que se você compara outono em nova york com um filme e ele PERDE, a gente já pode encerrar a argumentação.
sério mesmo. 

18 comentários:

  1. Vi pheobe in wonderland quando você postou aqui. Triste! Mas muito bom!
    agora quero assistir todos os outros! D:

    ResponderExcluir
  2. eu sou ignorante e só vejo filmes que passam no cinemark, de modos que só conheço daí o amigo pro fim do mundo. ODEIO keira. ODEIO. assisto filmes com ela como forma de auto flagelo, apenas. não tenho sentimentos por steve whatevs, só simpatizei naquele "amor a toda prova". mas detestei tanto esse filme... TANTO. fiquei duas horas esperando a história engrenar e nada ahahhahaha. aí acaba e fuén.

    mas essa sou eu e minha cultura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. COMO não ter sentimentos por steve carell depois do tio gay suicida loser da little miss sunshine?

      eu não faço a menor idéia do que está passando no cinema, gente. no dia que for socialmente aceitável ir ao cinemark de pijama e creme na cara, talvez eu reconsidere, mas até lá vou estar preferindo assistir velharias no conforto de minha residência, mesmo. viva o torrent (e os pobrema mental)! \o/

      Excluir
  3. tenho tres filmes pra te indicar:

    daydream nation
    sassy pants
    keith

    mentira, quatro: jolene

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não conheço nenhum, já desejo todos, meu computador não baixa nem santo nesse momento crítico, sofro tanto nessa vida, gente. ;~~

      Excluir
    2. mais um pra lista: struck by lightning.

      (estou começando a perceber um padrão nos filmes que eu te indico).

      Excluir
  4. "no dia que for socialmente aceitável ir ao cinemark de pijama e creme na cara, talvez eu reconsidere" - Daí cê me convida? Acho o fim essa imposição de que a gente deve estar de salto alto e escovinha no shopping, no cinema... cadê minha liberdade de andar de havaianas falsas e short de pijama?!

    E, à propósito: tbm só assisti o "amigo para o fim do mundo". Gosto da Keira, gosto do Steve Carell. Mas detestei o filme... tipo isso aí de gastar 2 horas da vida com um filme que não teve um clímax...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o amigo para o fim do mundo é uma BOSTA, fato.

      mas inquietos me decepcionou TANTO TANTO TANTO que eu meio que foquei minha raiva nele, hahahah. o fim do mundo pelo menos tem carell e o cachorro e a cena lá no restaurante que me divertiu porque sou monga. e a trilha sonora.

      cinema me broxa muito, gente. junta o preço com o ar condicionado (frio me desconcentra) com a falta de senso e a pedância das pessoas e eu evito, evito com força. exceto para anima mundi e tarantinos. de resto, eu passo.

      Excluir
    2. Sim! Tarantinos valem qualquer esforço! Viva Django!!

      Excluir
    3. eu vejo os filmes DO cinema EM casa. hahahaha.
      ou eu baixo ou espero chegar na locadora, em que dá pra ir de chinelo e pigtails.

      sempre vejo você falando de filmes inteligentes e me sinto uma bocó. vou guardar a lista e tentar assistir, pra pelo menos dizer que sou capaz...

      Excluir
    4. eu nunca sei o que tá passando no cinema. sou por demais desconectada pra acompanhar os lançamentos.

      acho que só tenho escolhido filmes baseada em fotos interessantes no tumblr, nos últimos tempos. o foda é que às vezes aquela imagem é A ÚNICA COISA VAGAMENTE INTERESSANTE NO FILME INTEIRO, mas né. a gente tenta.

      Excluir
  5. Sou monga e amei Restless por motivos de: sou tonta, mesmo. Não existe uma explicação razoável pra isso, eu sei, mas se eu for tentar explicar eu diria que "a cena que ela está deitada em casa e ele está triste ao lado dela e ela puxa e abraça a cabeça dele meio que é a minha visão de amor perfeito".

    E deixo uma recomendação que provavelmente vai fazer você bloquear meus comentários pra sempre nesse blog: Não Me Abandone Jamais. http://www.imdb.com/title/tt1334260/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho que o problema é meu, mesmo. eu achei aquele menino MUITO insuportável. tipo, ok, você perdeu seus pais e está revoltado, mas amigo: menos.

      não me abandone jamais é TREVAS. até queria assistir de novo, porque me senti tão incomodada que nem sei se gostei ou não. muito perturbador.

      Excluir
  6. Desses filmes, só assisti Mommie Dearest. E, ó, acho totalmente plausível, levando em conta que minha mãe nem é desequilibrada. Ou é e eu já acostumei, também, vai saber... também gosto muito do Steve Carell, mas a Keira eu tenho ÓDEO (é, escrito assim mesmo, daí você já imagina o quanto) dela. Fujo de tudo que "a contenha".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. todas odeia keira! hahahaha, coitada da garota. ela só quer sorrir com todas as suas 15 fileiras de dentes, gente. deixa ela.

      a coisa MENOS plausível em mommie dearest é o cabelo da pequena christina, não? porque o resto, olha, ~super normal~.

      Excluir
  7. Consegui ver Phoebe in wonderland nesse fim de semana! É muito bom mesmo! Eu já tinha visto um outro filme sobre a síndrome - "Front of the class", mas não imaginava as outras vertentes da doença, essas que aconteciam com a Phoebe... Se quiser ver, é muito bom tbm: http://www.youtube.com/watch?v=46RU7L7kThw

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quero ver!

      tantos filmes, tão pouco tempo. :~

      Excluir