pois então.

ainda chegam emails com o título "você tá bem?", então acho mais prático resumir.

eu meio que tinha um propósito ao me afastar daqui. agora honestamente não faço a mais vaga idéia do que era, mas envolvia botar a cabeça no lugar, resolver pendengas acadêmicas, me ~estruturar~. claro que como estamos falando da minha vida saiu tudo ao contrário e eu fiquei me sentindo ridícula como uma pessoa que, ao tentar fazer uma saída dramática, prende os dedos na porta e volta chorandinho.

porque tipo assim: estrutura total não define a situação.

as coisas já estavam um tanto quanto ~peculiares~, aí você soma o desequilíbrio com o frio, com a visita do papa tumultuando a cidade e uma gripe que foi tipo o último suspiro da minha imunidade pedindo arrego. fiquei uma semana sem sair do quarto, negociando comigo mesma razões para levantar da cama, vivendo basicamente de ritalina com café e bolinho ana maria e assistindo reprises infinitas de hora de aventura e apenas um show. fora da casinha total. e assim foi até o final de julho, quando por motivos de força maior precisei tirar o pijama e voltar para o mundo real, trololó do jeito que estava.

(se vocês permitem que eu diga, para as finalidades práticas não fez assim muita diferença.)


o mais relevante é que no meio disso tudo eu tive uma epifania (hahahaha, gente, eu estava realmente muito biruta). num desses dias suuuuper amenos eu estava vagando pelo tumblr e me deparei com um post tipo caderno de perguntas. se você tivesse um dia restante de vida, o que faria? e se tivesse uma semana? o que você planeja fazer dentro de uma semana? dentro de um mês? como se vê?, e assim por diante.

não consegui pensar em nada pra responder. NADA. as coisas mais básicas tipo "o que você vai fazer amanhã?". about:blank. não sei. caralho, não sei o que vou fazer amanhã. o que vou fazer amanhã? 101 perguntas, gente. já encalhei na primeira, como é possível? pode fazer à lápis?

inaugurei assim todo um outro nível na escala do desequilíbrio: o ataque de pânico motivado por meme.


mas tá, a epifania: eu finalmente entendi que não é que hoje eu esteja meio fora da casinha e não saiba o que vou fazer amanhã. é que eu nunca soube, mesmo. quer dizer. eu sei assim as coisas que gostaria de fazer, e como acho que deveria fazê-las, mas é como se essas informações ocupassem compartimentos mentais incomunicáveis entre si, compreendem? e eu simplesmente não consigo conectar todas as variáveis e gerar um PLANO dotado de princípio-meio-e-fim-E-coerência. isso explica todas as vezes em que agi de uma forma esperando um resultado totalmente incompatível e, obviamente, FUÉN.

então agora eu faço esse exercício diário de analisar as situações mais banais de causa e consequência e planejar as ações compatíveis e olha que incrível, não é que está fazendo sentido? mas meeeeeeeeeeeeeeeeeu deeeeeeeeeeeeus, como é difícil. como é complexo. como eu sou dodói.

então é isso, crianças. estou bem, sim.
só evitem aparecer de surpresa perguntando o que eu espero fazer dentro de 5 anos, porque né, baby steps.

14 comentários:

  1. Se eu acordar viva amanhã, já é alguma coisa a fazer: respirar. Mas até isso anda doendo. Eu tava vendo The Big Bang theory e o Sheldon diz que existe uma palavra em alemão que define a sensação de comparar seu mundo ideal com o mundo real. Pense numa pessoa que deitou na cama olhando pro teto imóvel depois disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. queria aprender alemão apenas porque eles têm palavras para descrever sentimentos indescritíveis. :~

      mas e quando você nem mesmo SABE como seria o seu mundo ideal? faz como?

      Excluir
    2. Ultimamente meu mundo ideal se resume a poder dormir 20 horas por dia e comer bacon nas outras 4.

      Excluir
    3. no meu mundo ideal benzodiazepínicos não precisam de receita e eu compro 3 esmaltes novos todos os dias.

      ô, gente.

      que vida é essa?

      Excluir
  2. envjea d vc,viu(ok enveja é meu vocabulário próprio, q sou rebelde,sim!), pq eu sempre quis ter uma epifania, mas já devo ter tido algumazinhas e n consigo identificar. enfim... supermeidentifico c vc, pq n sei nem o q farei daki a poko, mil opções, as sinapses n acontecem, paraliso e fico que nem bocó no meio da rua, qd então pego p primeiro ônibus e deixo a vida e o motorista me levarem. ás vezes funciona outras nem tanto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "outras nem tanto" resume toda a minha existência.

      Excluir
  3. Menina, sabe que esses dias entrei num blog e vi uma lista chamada "101 coisas em 1001 dias" ai eu descobri que meu cérebro não consegue pensar em coisas pra fazer no prazo de até 1001 dias, só funciona no máximo pra daqui uma hora e dando várias mensagens de erro ainda
    Me senti meio desmotivada sabe?


    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha, eu até consegui abstrair da parte dos 1001 dias. mas lembro que quando tentei, não consegui juntar nem 40 coisas.

      sou uma alma humilde. :~

      Excluir
  4. Tava eu passeando pelo tumblr quando me deparo com um post que pedia para que descrevessemos o mundo ideal. Eu também nao soube. Tu nao ta sozinha, se serve de consolo. :/
    Queria também dizer que sei bem o que é saber o que fazer e saber como fazer, só não saber fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vale responder "no mundo ideal NINGUÉM ME FARIA ESSE TIPO DE PERGUNTA"?

      Excluir
  5. te contar q sempre fui a louca alucinada por questionários (em cadernos, emails, formspring, ask.fm e etc.), até me deparar com esse aí no tumblr que você tá falando.

    Fui toda animada responder e reblogar,
    e PQP
    também encalhei na primeira. não sei responder nenhuma.
    sensacional.

    tudo minha vida ultimamente é um "posso fazer a lápis?"

    issaê.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas virou meio que questão de honra agora. salvei aqui e vou responder um pouquinho todo dia.

      provavelmente quando acabar já vou querer mudar todas as respostas, mas já seria um avanço.

      Excluir